USINA HIDRELÉTRICA MACHADINHO


A Usina Hidrelétrica Machadinho - Carlos Ermírio de Moraes (UHE Machadinho) está localizada na divisa dos estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, entre os municípios de Piratuba (SC) e Maximiliano de Almeida (RS).

O empreendimento começou a operar em fevereiro de 2002, utilizando o potencial hidrelétrico do Rio Pelotas, principal afluente do Rio Uruguai, que forma uma das maiores bacias hidrográficas do Sul do Brasil.

Considerada um marco na história das hidrelétricas brasileiras, sua construção foi resultado do esforço conjunto de acionistas, dos parceiros em todas as fases do empreendimento, dos governantes e de uma equipe de profissionais que possibilitou sua construção em tempo recorde, com uma antecipação de 17 meses em relação ao cronograma original.

Com três unidades geradoras de 380MW, a UHE Machadinho tem potência instalada de 1.140MW, o que corresponde a cerca de 37% da demanda de energia do estado de Santa Catarina ou 23% do total consumido pelo estado do Rio Grande do Sul.

Comparada a outros empreendimentos do setor, a capacidade de geração da UHE Machadinho é considerada elevada em relação à área de seu reservatório, que tem 500 quilômetros de perímetro e abrange, além de Piratuba e Maximiliano de Almeida, outros oito municípios: Capinzal, Zortéa, Celso Ramos, Campos Novos e Anita Garibaldi, em Santa Catarina, e Machadinho, Barracão e Pinhal da Serra, no Rio Grande do Sul.

O principal objetivo da Usina é suprir o mercado de ener­gia elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN) por meio do Subsistema Sul, sempre prezando pela responsabilidade socioambiental e pela qualidade estabelecida nas normas. É certificada pelas normas ISO 9001, ISO 14.001 e BS OSHAS 18001.

  • CARACTERÍSTICAS
    TÉCNICAS
  • ESTRUTURAS
  • LOCALIZAÇÃO
  • COMPENSAÇÃO
    FINANCEIRA

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS


QUEDA E POTÊNCIA

  • Queda líquida
    97 m
  • Potência instalada
    1.140 MW

RESERVATÓRIO

  • Área total
    79 Km²
  • Área Inundada
    56,7 Km²
  • Nível d'água operacional mínimo
    465 m
  • Nível d'água máximo normal
    480 m
  • Nível d'água máximo maximorum
    485,36 m
  • Perímetro do lago
    500 Km
  • Volume total armazenado
    3,3 Km³
  • Volume útil armazenado
    1 Km³
  • Profundidade média
    30 m
  • Área de drenagem da bacia
    32.050 Km²

SUBESTAÇÃO DE ALTA TENSÃO

  • Tipo
    blindada isolada a gás SF6
  • Instalação
    abrigada em galeria

BARRAGEM

  • Tipo
    Enrocamento com face em concreto
  • Elevação
    485,50 m
  • Altura
    126 m
  • Comprimento
    700 m

VERTEDOURO

  • Tipo
    superfície
  • Comprimento
    187 m
  • Número comportas
    8
  • Capacidade Máxima
    35.703m³/s

CASA DE FORÇA

  • Tipo
    abrigada
  • Turbinas Francis
    3x386 MW
  • Geradores
    3x418,5 MVA

QUER SABER MAIS SOBRE A USINA

MEMÓRIA TÉCNICA

ESTRUTURAS

Clique nos números e acesse informações sobre os componentes da Usina.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

1 - VERTEDOURO

Estrutura em concreto, destinada ao escoamento das cheias do rio Pelotas, calculada para um período de retorno de 10 mil anos. O vertedouro da UHE Machadinho é composto por 8 comportas e sua crista fica cerca de 20 m abaixo do nível normal do reservatório.

Características Técnicas:
  • Comprimento:
    187m
  • Altura máxima:
    22m
  • Largura:
    175,50m
  • Capacidade de vazão:
    35.703 m³/s

2 - DIQUE 2

Localizado no estado de Santa Catarina. Sua estrutura é constituída de aterro de solo, destinada a evitar a fuga de água em pontos cujas cotas do terreno estão abaixo do nível d'água do reservatório.

Características Técnicas:
  • Comprimento:
    336m
  • Altura máxima:
    31m
  • Largura da crista:
    10m

3 - TOMADA D’ÁGUA

Com a estrutura em concreto, tipo gravidade aliviada e apoiada no maciço rochoso com 47,70m de altura e 61,20m de comprimento, a tomada d’água apresenta três aberturas para adução independente, através de túneis forçados, às unidades geradoras instaladas na casa de força.

Características Técnicas:
  • Comprimento:
    61,20 m
  • Altura máxima:
    47,7 m
  • Largura da base:
    26 m
  • Comportas:
    6 unidades
  • Condutos (túneis) Forçados:
    3
  • Comprimento:
    105,60 m / cada
  • Diâmetro:
    9,40 m (revestido em concreto)
    8,00 m (revestido em aço)

4 - TÚNEL DE DESVIO - SC

Os túneis de desvio são estruturas provisórias utilizadas para desviar o rio do seu curso natural, possibilitando a construção da barragem principal. A escavação para implantação dos túneis de desvio ocorreu no início da obra, em meados de 1998.

Características Técnicas:
  • Dimensões:
    14 x 16 metros
  • Comprimento:
    Túnel 1 - 628,4m
    Túnel 2 - 611,95m

5 - CANAL DE FUGA

É o local por onde sai a água após o processo que compreende a entrada pela tomada d’água, passagem pelos condutos forçados, movimentação das turbinas e geração de energia. Como a água vem de baixo para cima, ao sair pelo canal de fuga ela aparenta estar borbulhando.

6 - BARRAGEM PRINCIPAL

Estrutura construída em blocos de rocha (chamado de enrocamento), com a face de montante revestida por uma laje de concreto (chamada de face de concreto). A barragem principal é uma estrutura definitiva que se destina à obstrução do rio e formação do reservatório. Esta estrutura está localizada entre as duas ensecadeiras, uma a montante e a outra a jusante, sendo que a de jusante é incorporada à barragem principal.

Características Técnicas:
  • Comprimento:
    700m
  • Altura máxima:
    126m
  • Largura da base:
    330m
  • Largura da crista:
    7m
  • Cota da crista:
    485,5m

7 - COMPORTAS

No total são 8 comportas que ao todo pesam 129 toneladas. Elas têm a função de dar vazão à água e evitar inundações todas as vezes em que a quantidade de água utilizada na geração de energia não é suficiente para baixar o nível do reservatório, fazendo com que ele se mantenha no seu nível.

Características Técnicas:
  • Tipo:
    deslizante
  • Quantidade de painéis por comporta:
    8
  • Vão livre:
    18m
  • Altura livre total da comporta-ensecadeira:
    20,8m
  • Altura livre de cada painel:
    2,6m
  • Elevação da soleira:
    460m

8 - CASA DE FORÇA

Construída em concreto armado, é a estrutura onde ficam instaladas as turbinas, geradores e demais equipamentos e sistemas do processo de geração de energia, que compreende as seguintes etapas:

• chegada da água na casa de força por meio dos condutos forçados;

• movimentação das turbinas com a pressão da água;

• acionamento dos geradores a partir da rotação das turbinas;

• produção da corrente elétrica nos geradores;

• condução da energia elétrica para o sistema de transmissão por meio de subestação blindada e isolada a gás SF6.

Características Técnicas:
  • Comprimento:
    130 m
  • Largura:
    37,50 m
  • Altura máxima:
    73 m
  • Geradores:
    3 unidades de 380.000 kW cada
  • Turbinas:
    3 unidades tipo Francis

9 - TÚNEL DE DESVIO - RS

Os túneis de desvio são estruturas provisórias utilizadas para desviar o rio do seu curso natural, possibilitando a construção da barragem principal. A escavação para implantação dos túneis de desvio ocorreu no início da obra, em meados de 1998.

Características Técnicas:
  • Dimensões:
    14m x 16 m
  • Comprimento:
    Túnel 1: 333m
    Túnel 2: 333m

10 - DIQUE 1

Localizado no estado do Rio Grande do Sul, o dique 1 possui uma estrutura constituída de aterro de solo destinada a evitar a fuga de água em pontos cujas cotas do terreno estão abaixo do nível de água do reservatório.

Características Técnicas:
  • Comprimento:
    394m
  • Altura máxima:
    22m
  • Largura da crista:
    10m
  • Cota da crista:
    386m

LOCALIZAÇÃO

COMPENSAÇÃO FINANCEIRA


A Compensação Financeira pelo uso dos Recursos Hídricos (CFURH) visa ressarcir os municípios pela área territorial cedida para implantação de usinas hidrelétricas.Os valores repassados mensalmente visam compensar os municípios pela perda de áreas agrícolas (Produção Renunciada) por inundação, estabelecimento de faixa ciliar e canteiro de obras.

A legislação federal define a distribuição dos recursos provenientes da CFURH entre a União, Estados e Municípios, sendo que cabe à ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica o cálculo dos índices de participação de cada município no cômputo global conforme os percentuais de áreas inundadas.

Se desejar conhecer mais sobre a metodologia de cálculo do CFURH ou detalhamento dos valores repassados acesse aqui o link da ANEEL sobre Legislação.

DISTRIBUIÇÃO DOS VALORES

Repassados no mês de Abril de 2022

MUNICÍPIOS DE SANTA CATARINA

ANITA GARIBALDI

R$
18,5 MIL

CAMPOS NOVOS

R$
16,1 MIL

CAPINZAL

R$
37,4 MIL

CELSO RAMOS

R$
43,3 MIL

PIRATUBA

R$
65,7 MIL

ZORTEA

R$
59,3 MIL

MUNICÍPIOS DO RIO GRANDE DO SUL

BARRACÃO

R$
59,6 MIL

MACHADINHO

R$
142,3 MIL

MAXIMILIANO DE ALMEIDA

R$
44,8 MIL

PINHAL DA SERRA

R$
18,6 MIL

ESTADO DE SANTA CATARINA

R$
100,3 MIL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

R$
108,4 MIL

ORGÃOS DO GOVERNO FEDERAL

R$
224,1 MIL